Sábado, 17 de Fevereiro de 2007

O Vale da Paixão

1998

O Vale da PaixãoUma personagem sem nome protagoniza este romance, A manta do soldado, que se constrói em camadas, como se a autora, a portuguesa Lídia Jorge, conduzisse-nos para dentro de uma casa sem luz elétrica, no lusco-fusco, e fosse-nos dado conhecê-la pouco a pouco, a luz bruxuleante de uma lamparina inaugurando espantos. No começo, tudo é nebuloso, perdidos que estamos entre brumas. Com o passar das páginas, no entanto, nossa vista acostuma-se e aqui deciframos um móvel, ali uma paisagem, acolá personagens que se vão despertando do sono da memória. E, juntos, a autora e o leitor, mergulhamos na noite.

Publicado em 1998, originalmente com o título de O Vale da Paixão, A Manta do Soldado é mais uma prova do vigor da atual literatura portuguesa. Agraciado com o Prêmio Jean Monet, da Comunidade Econômica Européia, este é um livro de prestação de contas: de Lídia Jorge com suas obsessões; de Lídia Jorge com seu país. Segundo a própria autora, esta “é a história da ascensão e queda de uma casa rural portuguesa face a um destino sem destino”.

Situada a narrativa no espaço geográfico imaginário de Valmares, no Algarves, sul de Portugal, a trama desenvolve-se a partir de uma visita que a narradora, inominada, recebe no inverno de 1963. Esse (re)encontro entre a menina e seu tio, Walter Dias, na verdade seu pai biológico, desencadeia uma profunda reflexão sobre raízes, num magnífico ir e vir, no qual passado e presente são embaralhados e reembaralhados, como no início de um jogo de cartas. Ficamos paulatinamente conhecendo a família Dias, cujo patriarca, Francisco, arroga-se direitos medievais sobre os descendentes, e, mais nuclearmente, Custódio, Walter e Maria Ema, atores de uma tragédia.

Walter, o caçula, rebela-se contra o atraso, o autoritarismo, o moralismo da Casa de Valmares. Mas paga um preço altíssimo por isso: é condenado a vagar pela Terra, qual um novo Ahaverus, arrastando culpa e solidão. Custódio, o coxo, primogênito dos Dias, é obrigado a se casar com Maria Ema, engravidada pelo irmão, para salvar a honra da família. A partir desse enredo, Lídia Jorge, com maestria, ergue uma catedral de silêncios e purgações.

A única coisa que Walter consegue deixar como marca de sua passagem – e servir como ponte de lembranças para a sobrinha/filha – é uma “manta de caserna, dois metros quadrados de fazenda grossa, debruada a linha parda”, onde se podia ler que “pertenceu ao recruta 687 de 45, (...) conhecido pelo assobio, pelo andar e pelos animais que desenhava, (...)”.

É a trajetória dessa manta, que trazia em si conformado o corpo daquele que a usou, que Lídia Jorge refaz, lembrando os melhores momentos do melhor Faulkner.

Publicações D.Quixote
Artigo de Clúdia Pazos Alonso neste Blog
Carta Maior (Brasil)
http://cartamaior.uol.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=12116

Publicado por Marta às 15:55

Link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Navegação

 

Equipa
Equipa
Equipa
A obra
Button5
Button6

Pesquisar neste blog

 

Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Arquivos

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Artigos recentes

Menção Honrosa - Santarém...

Finalmente...

O Simbolismo

Tradução do artigo da Ana...

Artigo de Ana Paula Ferre...

Cláudia Pazos Alonso fala...

Sinónimos de "bicicleta"

Nomes de bicicletas

Tarefas da 4ª semana

O Espaço

Contactos

Se:
gostou...
não gostou...
leu...
lhe foi útil...
acha incompleto...
quer colaborar...
encontrou erros...

Ou se apenas:
nos quer dar o aconchego
de uma palavra...


Mande-nos um mail
cliquando AQUI.

Ou para os endereços:
ana_lucia_o@sapo.pt
marta_21_marques7@sapo.pt
adriana_maria_5@sapo.pt
caetana_scp@sapo.pt
mfscorreia@sapo.pt
e já agora
jpvasc@sapo.pt

tags

lídia jorge(18)

bibliografia(17)

obra(16)

obras(11)

instrumentalina(10)

livros(10)

personagens(8)

biografia(7)

7a(6)

marta(5)

take5(5)

entrevista(4)

mulheres(3)

aldeia(2)

ana lúcia(2)

ana paula ferreira(2)

autora(2)

avô(2)

casa(2)

espaço(2)

todas as tags

Links

Não se atrase

Visitantes

"Instrumentalinas"

www.flickr.com
Mais fotografias de "instrumentalinas" no Flickr

Inquérito 1

Participar

Participe neste blog

Mais sobre nós

blogs SAPO

Notícias

subscrever feeds